Sem querer meus pulsos pulsam o calor de outra noite. Meus dedos sentem a saudade das cordas que há tempos ficou. Atrás. Sao só estímulos trêmulos de sentidos. Espasmos de vida. Pulsar. De uma partícula perdida nas entranhas da multidão. Ferve o sangue. Navego. Sem direcão. Ponto.com. Num entra e sai. Janelas sujas. Violência crua. […]

Leia Mais